Lá na rua onde eu moro,
No 212,
Mora a mulher que eu adoro,
E quando eu passo, faz pose,
Será que ela não sabe,
Que eu sou um bom rapaz,
Ou ela quer que eu acabe,
Com a pose que ela faz ?

Olhando pela janela,
Fingindo ver o jardim,
Seus olhos dizem que ela,
Espera sempre por mim,
E eu nem me dou por achado,
E faço a minha pirraça,
Sempre bem acompanhado,
Quando por mim ela passa.