Sob a face oculta do Baphomet

Ares noturnos e ventos cortantes
Sob o fascínio da noite e o culto a Lúcifer
Ares noturnos e ventos cortantes
Sob o fascínio da noite e o culto a Baphomet

Sob a cinzenta fumaça da noite
O chamado me guia pela escuridão
Nuvens negras carregadas em trevas
Ventos frios e gritantes
Trazem o sopro do bode
Abrindo as honras para o Baphomet

De corpo e alma banhados em sangue
Símbolos dos rituais em minha mente
Triunfando sobre o caminho das sombras
Em meio à escuridão da noite
Chamo em nome de Satanás
Lúcifer Baphomet

Sob a escuridão, dor, agonia e morte.
O prenúncio de dias malditos
Nos campos sangrentos de glória
Destruindo o deus de carne
Desejando apenas o eterno abismo
O caos aparado pela face do bode

Sob a face oculta do bode
Entre o círculo de sangue e fogo
Entoo gritos em versos satânicos
A me guiarem sobre o abismo
No horizonte que não enxergo
E no oceano caminho para a eternidade.

Ares noturnos e ventos cortantes
Sob o fascínio da noite e o culto a Lúcifer
Ares noturnos e ventos cortantes
Sob o fascínio da noite e o culto a Baphomet