Olhos fechados para não ver
tanta ignorância que nos leva a crer
que daqui pra frente nada vai deter a gente.
No nosso mundo poderemos nos esconder.

Utopia me separa da realidade,
e me leva para onde eu possa ser real,
um lugar maravilhoso onde tudo é mais colorido,
ninguém se importa, nada é proibido.

Egoísmo e inconseqüência correm junto com meu sangue
e o final logo estará aqui.
Enquanto isso: me destruo, me desrespeito,
no caminho que um dia eu resolvi seguir.

Refrão:
Na vida eu nunca soube como dizer não.
Fugi da luta, não tenho culpa,
e o que me assusta é que cada dia eu corro mais e mais.
Sou fugitivo da vida real, não volto atrás.

E agora sem eira nem beira na vida,
a morte para mim seria a solução.
Levanto a cabeça, mas não vejo a saída,
presencio o dia-a-dia na destruição.

Não participo, não opino, não reflito, não invento,
eu só espero o barato passar.
Mas quando ando por aqui acho que a vida é tão sem sentido, não vale à pena, eu tentar mudar.

Permaneço num mundinho que um dia me ofereceram,
e que no começo era tão legal.
Mas só me trouxe sofrimento,
amigo eu lamento, eu só queria ter escrito um outro final.

Refrão:
Na vida eu nunca soube como dizer não.
Fugi da luta, não tenho culpa,
e o que me assusta é que cada dia eu corro mais e mais.
Sou fugitivo da vida real, não volto atrás.

Opinião a gente faz, não é alguém que traz
embrulhada num saquinho pronto pra vender.
Não se deixe levar, não deixe de enxergar
o perigo que hoje em dia circunda você.

O que parece liberdade, na verdade é uma prisão.
A fuga é uma mera ilusão.
E quem leva essa vida sabe o preço que ela custa.
E o que se conquista com isso?

Tu gostas disso?
Falsa vida, falsos amigos,
falso destino, é só vício, vício, vício...
Escravidão.
Se cuide, caia na real, se valorize irmão,
que mente limpa sempre acha a solução!

Refrão:
Na vida eu nunca soube como dizer não.
Fugi da luta, não tenho culpa,
e o que me assusta é que cada dia eu corro mais e mais.
Sou fugitivo da vida real, não volto atrás.