Será possível
Não tou dando as contas
Na conta da viela
Não pode ser
Seu rosto e manta
Na santa da capela

Eu lhe vejo na janela
No bar, na novela
No altar, na alucinasombra
Dela e em todo lugar
Não vai dar

É dejavu, um sonho que mera
Bom é mera lembrança
Seu corpo nu
Gravado na tela
Daquela vizinhança
Ah, mas como me cansa
Buscar a distância e não achar
E eu me revirando todo pra não lhe encontrar
Não vai dar

Eu lhe vejo na janela
No bar, na novela
No altar, na alucinasombra
Dela e em todo lugar
Não vai dar